Linha A-TAP
Revisão Técnica

A-TAP é indicado para qualquer material, qualquer aplicação, a qualquer hora!
Uma introdução da nova linha A-TAP da OSG

 


Figura 1. Os 3 maiores problemas de rosqueamento dos usuários foram levantados durante o primeiro semestre de 2013

A figura 1 ilustra os dados coletados a pelo Centro de Atendimento ao Cliente da OSG, destacando alguns dos principais obstáculos que os usuários se deparam em aplicações de rosqueamento. Os três principais problemas de rosqueamento incluem, lascamento e quebre, erros de dimensional e tolerância, que são todos causados por má evacuação do cavaco. Juntos, os três principais problemas, constituem mais de 50% de todos os problemas de rosqueamento. Com isto em mente, o desafio era claro: chegar a uma solução para acabar com o problema de escoamento de cavacos.

Além disso, devido à diversificação de materiais de trabalho e centros de usinagem, o número de aplicações com machos específicos tem aumentado bastante nos últimos anos. No entanto, com uma grande variedade de opções de machos os usuários muitas vezes não conseguem identificar a ferramenta adequada para o seu trabalho, criando assim, uma demanda por um novo macho que pode fazer tudo.

A nova linha A-TAP da OSG foi desenvolvida para oferecer uma usinagem e um escoamento de cavacos estáveis e é aplicável a uma ampla variedade de materiais de trabalho. Algumas de suas principais características e benefícios incluem o seguinte:

 

Sem Problemas na Evacuação do Cavaco

 


Figura 2. Design do canal variável.

Entre os vários problemas de cavacos, alcançar o escoamento de cavacos estável com um macho canal helicoidal em furos cegos é particularmente difícil e é uma das principais causas de dor de cabeça para muitos clientes. Isto se dá, devido o fato de, em furos cegos, o cavaco ser puxado para cima, onde eles podem frequentemente ficar enrolados e presos no processo. Para resolver este problema e melhorar a evacuação dos cavacos, o novo macho A-SFT da OSG possui um design da hélice com canal variável (ver figura 2), que permite a evacuação de cavacos de forma estável e reduz as forças de corte. O ângulo de hélice varia do chanfro, região em que os cavacos são formados, para os canais, região em que os cavacos são evacuados. Esta geometria exclusiva permite maior controle dos cavacos, o que pode ajudar a produzir cavacos compactos para facilitar a evacuação do furo rosqueado.

 

A Figura 3 representa uma comparação de formação do cavaco entre um macho convencional e o A-SFT. Como pode ser visto nas fotografias, cavacos formados pelo macho convencional são instáveis, com ondas de várias formas e tamanhos. Cavacos formados pelo A-SFT, por outro lado, demonstram a evacuação de cavaco estável tanto em termos de forma e consistência.


Figura 3. Comparação de um cavaco entre um macho convencional e A-SFT.

 

Supera as expectativas em qualquer condição de corte


A fim de atingir uma grande variedade de condições de corte, o aço sinterizado (CPM) e revestimento V (TiCN) foram aplicados para conseguir uma excelente resistência ao desgaste. Além disso, para permitir a usinagem de alta velocidade, a nova linha A-TAP incorpora um design de aresta com prioridade na afiação.

 

      Figura 4. Gráfico de capacidade de desempenho

A Figura 4 ilustra a capacidade de desempenho da nova linha A-TAP. O gráfico é um diagrama conceitual da condição de corte em aço médio e alto carbono (S45C, etc) com refrigeração de óleo solúvel em água. O macho convencional usinou em uma velocidade de corte de 25m/min ou menos; enquanto que o A-POT / A-SFT foram capazes de usinar com velocidades três vezes mais rápida. No entanto, existe a possibilidade de batimento durante o processo com um centro de usinagem instável; portanto, recomenda-se utilizar máquinas sincronizadas com velocidade superior a 15m/min.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Figura 5 e Figura 6 ilustram a ampla gama de materiais que podem ser usinados com o A-POT e A-SFT.


Figura 5. Condição de corte do A-POT

 

Figura 6. Condição de corte do A-POT

 

Supera as expectativas em uma ampla gama de materiais

 

Figura 7. Fotografias da rosca interna após o processamento

A Figura 7 ilustra fotografias de roscas internas feitas em aço carbono (SS400) e aço inoxidável (SUS 304). Até agora, rosquear estes dois materiais completamente diferentes com o mesmo macho era muito difícil. O A-TAP, no entanto, é capaz de usinar ambos os materiais de trabalho de forma eficaz.

 

 

 

 

 

 

 

 

Dados de Corte


Nós destacamos uma série de características e benefícios da linha A-TAP. Vamos dar uma olhada em alguns dos dados de teste.

Figura 8 foi um teste de rosqueamento com profunidade 2D em aço inoxidável (SUS 304) e refrigeração com óleo solúvel em água. Um destaque deste teste é que o A-SFT foi capaz de evacuar efetivamente cavacos em profundidade 2D e não teve problemas com o óleo solúvel em água.

 

Figura 8. Dados de Corte 1

 

 

A Figura 9 é uma demonstração da capacidade de rosqueamento de alta velocidade de A-SFT. Foi testado a 15, 30, e 40m/min. Em todos os casos, o A-SFT foi capaz de alcançar um desempenho estável e consistente.

 


Figura 9. Dados de Corte 2

 

A Figura 10 é um exemplo de alta velocidade de usinagem sincronizada do A-POT. O A-POT foi 1,3 vezes mais resistente em comparação com a cobertura do macho convencional; e tem 1,6 vezes mais vida útil do que um macho do concorrente.

 

 


Figura 10. Dados de Corte 3

 

 

Conclusão


Com um desempenho imbatível, estabilidade e versatilidade, a nova Linha A-TAP é a resposta para todos os problemas de rosqueamento.